sábado, junho 30, 2012

,

Amizade é algo que se conquista!

Boa Noite. 

- Nesta postagem de hoje não falaremos sobre redes, Forense e muito menos sobre invasão! Quero deixar aqui uma singela imagem que recebi dos meus companheiros da linuxtraining,durante minha ausencia no curso .... infelizmente não pude ir assistir aula de hoje mas agradeço de coração aos meus brother's  " modafoker " pela lembrança, que deixo aqui eternizada neste humilde blog!


 Forte abraço rapaziada! (:

sexta-feira, junho 29, 2012

certificação CCIE Service Provider e Routing Switching.

Olá! O objetivo desse blog é elaborar documentos explicativos em português para cada tipo de cenário de rede utilizando equipamentos Cisco Systems com foco nas certificações. Os LABs descritos nesse blog não são Brain Dumps, não foram tirados de nenhum material de Brain Dump e não fazem referencia a nenhuma prova de certificação. Caso queira entrar em contato para eventuais duvidas ou projetos, o e-mail está ao lado.

Estas são as palavras de bruno barata, onde encontrei estes Laboratorios de Redes com exemplos mais procurados, particularmente hoje precisei da melhor rota para router, e acabei encontrando esse rico conteudo, Espero que ajude a todos, como me ajudou hoje!

Os LABs abaixo são os mais procurados:

segunda-feira, junho 25, 2012

,

Bad Blocks no seu disco rígido.

Bom dia! 


Os Bad Sectors, são basicamente setores ruins ou defeituosos do nosso disco rígido,o  mau funcionamento desses setores pode implicar em problemas na gravação ou leitura de dados durante o uso do computador.

Como evitar?
Evitar quedas de luz inesperadas, mau desligamento e todas as recomendações muito conhecidas para o HD são boas maneiras de preservá-lo e diminuir o aparecimento dos setores defeituosos. 


Como corrigir? 
Existe uma alternativa, isolando os blocos defeituosos para utilização do Disco rigido, entretanto sabe-se que o mesmo pode nao funcionar corretamente, portanto utilize-o por sua conta em risco , o Procedimento correto é obter outro HD, para nao ficar naquela duvida de perder os dados. 
Aplicações:
Existem várias aqui obviamente iremos citar para linux, e como você pode chegar estes setores e isola-los! let's go! Existe duas linhas finais de analise de "bad" no proprio HD e no HD externo,vamos citar aqui como realizar procedimento no HD externo.

Externo: 
no terminal digite df -l, ele deve te retornar algo como isso:
root@kembolle-laptop:~# df -l
Sist. Arq.           1K-blocos      Usad Dispon.   Uso% Montado em
/dev/sda1             56500324  20749904  32920136  39% /
none                   1476584       304   1476280   1% /dev
none                   1484664         8   1484656   1% /dev/shm
none                   1484664       120   1484544   1% /var/run
none                   1484664         0   1484664   0% /var/lock
none                   1484664         0   1484664   0% /lib/init/rw
/dev/sda3            422637036 324991152  76490812  81% /media/sda3
/dev/sdb1            732571644 104974996 627596648  15% /media/Hitachi
Obs: ótimo a USB reconheceu nosso HD externo ( Hitachi ) , e nos mostrou que o mesmo se encontra no seguinte caminho: /dev/sdb1 certo? bom, já descobrimos o caminho e já sabemos que o HD foi reconhecido, 

vamos a uma breve descrição do comando??? 
badblocks is used to search for bad blocks on a device (usually a disk partition). device is the special file corresponding to the device (e.g /dev/hdc1). last-block is the last block to be checked; if it is not specified, the last block on the device is used as a default. start-block is an optional parameter specifying the starting block number for the test, which allows the testing to start in the middle of the disk. If it is not specified the first block on the disk is used as a default. 
Important note: If the output of badblocks is going to be fed to the e2fsck or mke2fs programs, it is important that the block size is properly specified, since the block numbers which are generated is very dependent on the block size in use. For this reason, it is strongly recommended that users not run badblocks directly, but rather use the -c option of the e2fsck and mke2fs programs.  

OPTIONS

-b block-size
Specify the size of blocks in bytes.
-c number of blocks
is the number of blocks which are tested at a time. The default is 16. Increasing this number will increase the efficiency of badblocks but also will increase its memory usage. Badblocks needs memory proportional to the number of blocks tested at once, in read-only mode, proportional to twice that number in read-write mode, and proportional to three times that number in non-destructive read-write mode. If you set the number-of-blocks parameter to too high a value, badblocks will exit almost immediately with an out-of-memory error "while allocating buffers". If you set it too low, however, for a non-destructive-write-mode test, then it's possble for questionable blocks on an unreliable hard drive to be hidden by the effects of the hard disk track buffer.
-f
Normally, badblocks will refuse to do a read/write or a non-destructive test on a device which is mounted, since either can cause the system to potentially crash and/or damage the filesystem even if it is mounted read-only. This can be overriden using the -f flag, but should almost never be used --- if you think you're smarter than the badblocks program, you almost certainly aren't. The only time when this option might be safe to use is if the /etc/mtab file is incorrect, and the device really isn't mounted.
-i input_file
Read a list of already existing known bad blocks. Badblocks will skip testing these blocks since they are known to be bad. If input_file is specified as "-", the list will be read from the standard input. Blocks listed in this list will be omitted from the list of new bad blocks produced on the standard output or in the output file. The -b option of dumpe2fs(8) can be used to retrieve the list of blocks currently marked bad on an existing filesystem, in a format suitable for use with this option.
-o output_file
Write the list of bad blocks to the specified file. Without this option, badblocks displays the list on its standard output. The format of this file is suitable for use by the -l option in e2fsck(8) or mke2fs(8).
-p num_passes
Repeat scanning the disk until there are no new blocks discovered in num_passes consecutive scans of the disk. Default is 0, meaning badblocks will exit after the first pass.
-n
Use non-destructive read-write mode. By default only a non-destructive read-only test is done. This option must not be combined with the -w option, as they are mutually exclusive.
-s
Show the progress of the scan by writing out the block numbers as they are checked.
-v
Verbose mode.
-w
Use write-mode test. With this option, badblocks scans for bad blocks by writing some patterns (0xaa, 0x55, 0xff, 0x00) on every block of the device, reading every block and comparing the contents. This option may not be combined with the -n option, as they are mutually exclusive.
  WARNING Never use the -w option on an device containing an existing file system. This option erases data! If you want to do write-mode testing on an existing file system, use the -n option instead. It is slower, but it will preserve your data.
Vejam que comando badblocks é uma ferramenta exelente,que deve ser utilizada tambem com muita cautela. Vamos a pratica em nosso HD. 
Método read-only
Este é o método mais seguro que eu conheço, apenas lê os dados e pode ser utilizado num disco que está montado.Simplesmente verifica cada bloco que pode ser lido, não testa por erros de escrita
sudo badblocks -sv -c 1024 /dev/sdb1
 
Método read-write
Método “non-destructive” que testa cada bloco lendo, escrevendo e verificando.
sudo badblocks -nsv -c 10240 /dev/sdb1
 
Método write test
Esse comando vai apagar todos os dados da unidade escolhida, use com cuidado. Ele vai escrever em cada bloco e verificar por erros.
sudo badblocks -wsv -c 10240 /dev/sdb1
Exemplo do resultado usando o método read-only:
badblocks -s -v -c 10240 /dev/sdb1
Checking blocks 0 to 195360983
Checking for bad blocks (read-only test): done
Pass completed, 0 bad blocks found."
Em uma rápida análise dos parâmetros:
* -s = mostrar progresso
* -v = verbose mode
* -c 10240 = checar 10k blocos por vez
* -n = non-destructive read-write
* -w = destructive write-mode

Certifique-se de que você não esta fazendo em sda,veja bem existe diferença entre sda e sdb1 , mesmo assim ainda tem gente que digita errado sem prestar atenção ¬¬  Espero que ajude, pois maioria dos HD's que pego para realizar Analise forense das mesmas estão com o mesmo problema, este procedimento serve para HD no proprio pc, sendo plenamente funcional!

Aquele abraço []'s 

Opção adicionar ao painel não aparece no GNOME

Bom dia
Gnome Fail

- Logo cedo me deparo com um problema no meu painel gnome precisava adicionar um atalho de uma determinada aplicação e não consegui só apareçe duas opções: Ajuda e Sobre. Para resolver o problema segui uma dica que encontrei no forum Ubuntu User's, adicionando pequenos passos. Let's go! 

Realize os comandos na seguinte sequencia em seu Terminal:
$ gconftool-2 --shutdown
$ gconftool --recursive-unset /apps/panel
$ rm -rf ~/.gconf/apps/pane
$ pkill gnome-panel
e pronto , painel ressetado, espero que ajude a resolver quem estiver com mesmo problema! (: 
Forte abraço []'s 

quinta-feira, junho 21, 2012

FUG-BR (Grupo Brasileiro de Usuários FreeBSD)

Prezados,
 
Depois de uma longa e democrática thread na lista de discussão, a comunidade brasileira do FreeBSD acaba de inaugurar o seu fórum de discussão. O canal ficou ligado a FUG-BR (Grupo Brasileiro de Usuários FreeBSD) e, é mais um repositório que pode ser utilizado para compartilhar conhecimento, obter ajuda e colaborar com o projeto.





 Apesar de estar vinculado a FUG, o fórum promete tratar de assuntos relacionados a outros BSDs também. Para saber mais, visite o fórum agora mesmo: http://forum.fug.com.br.

Fonte: http://www.jack.eti.br/www/?p=3729

domingo, junho 17, 2012

cheat cheets

sem palavras... aprecie sem moderação! =)

Cheat Sheets

Interior Routing Protocols poster now available!

Interior routing protocols poster

Protocols

BGP

version 2.1 (2 pages)
BGP

EIGRP

version 2.1 (1 page)
EIGRP

First Hop Redundancy

version 2.0 (1 page)
First Hop Redundancy

IEEE 802.11 WLAN

version 2.2 (2 pages)
IEEE 802.11 WLAN

IEEE 802.1X

version 2.0 (1 page)
IEEE 802.1X

IPsec

version 2.0 (1 page)
IPsec

IPv4 Multicast

version 2.0 (1 page)
IPv4 Multicast

IPv6

version 2.0 (1 page)
IPv6

IS-IS

version 2.0 (2 pages)
IS-IS

OSPF

version 2.1 (2 pages)
OSPF

PPP

version 1.2 (1 page)
PPP

RIP

version 1.1 (1 page)
RIP

Spanning Tree

version 2.0 (2 pages)
Spanning Tree

Applications

scapy

version 1.0 (1 page)
scapy

tcpdump

version 2.0 (1 page)
tcpdump

Wireshark Display Filters

version 2.0 (2 pages)
Wireshark Display Filters

Reference

Common Ports

version 1.1 (1 page)
Common Ports

IOS IPv4 Access Lists

version 2.0 (1 page)
IOS IPv4 Access Lists

IPv4 Subnetting

version 2.0 (1 page)
IPv4 Subnetting

Syntax

Markdown

version 2.0 (1 page)
Markdown

MediaWiki

version 2.1 (1 page)
MediaWiki

Technologies

Frame Mode MPLS

version 2.0 (1 page)
Frame Mode MPLS

IOS Zone-Based Firewall

version 1.0 (1 page)
IOS Zone-Based Firewall

NAT

version 1.0 (1 page)
NAT

QoS

version 2.0 (2 pages)
QoS

VLANs

version 2.0 (1 page)
VLANs

Voice

VOIP Basics

version 1.0 (1 page)
VOIP Basics

Miscellaneous

Cisco IOS Versions

version 2.0 (1 page)
Cisco IOS Versions

Physical Terminations

version 1.1 (1 page)
Physical Terminations
, ,

Acorda, agora é IPV6 (:

Apostila Teórica – Técnicas de Transição
Roteiros de Laboratório – Funcionalidades Básicas
Roteiros de Laboratório – Técnicas de Transição
Roteiros de Laboratório – Segurança
Roteiros de Laboratório – Serviços
Imagem da Máquina Virtual com o emulador CORE e topologias dos laboratórios para VirtualBox

Curso e-learning

Apostilas antigas (2008-2012)

Material teórico (Creative Commons):
Material teórico – Versão editável (Creative Commons):
Diagramas e Roteiros de Laboratórios (Creative Commons):

Apostilas em espanhol

,

O Crunchbang

 

Algumas semanas atrás instalei uma versão leve do Ubuntu (9) e não consegui instalar nada dentro da distro, nem a Virtual Box. As versões do Ubuntu recebem atualizações instantâneas e por esse motivo é necessário utilizar sempre a última versão. Porém, a última atualização do Ubuntu (11) se tornou lenta para o tipo de máquina em que utilizo o sistema. 
 
O Crunchbang é a solução para este problema. Mais leve que o Ubuntu, porém completamente estável e atualizado. Após a instalação do Crunchbang um script automático é aberto em uma janela de terminal e todos os tipos de ferramentas de desenvolvimento são instaladas. MySQLServer, PHP5, PHPMyAdmin, Python, Java entre outras. O Crunchbang é da familia do Debian, assim como o Ubuntu, e tem as vantagens do comando "apt-get".


Para download
http://crunchbanglinux.org/

If This Then That

Este aplicativo é muito interessante, com ele é possível fazer coisas como: se você enviar uma foto para o Instagram a foto seja enviada para o Dropbox; ou, se estiver chovendo em algum lugar que ele dispare um SMS. Esta tecnologia pode ser ainda mais interessante se um Arduino estiver conectado efetuando disparos.

http://ifttt.com/wtf
,

Mysql Check Online

MySQL Check logo

In light of the recent comical flaw in MySQL database authentication, excellently summarised by HD Moore here, as responsible information security people we thought we should help out the less experienced administrator.
If you're concerned that your MySQL database is vulnerable to this attack, which would potentially compromise your entire application and server use our free;

Let's Hack (:
http://www.mysqlcheck.com/