terça-feira, outubro 25, 2011

,

Bootstrap.php "Exposed"

Olá Companheiros e Companheiras do movimento " Security " . 

- Estava dando uma conferida nos meus e-mail's onde converso com uma galera firmeza do Brasil Underground , e li postagem sobre dork's que deixava exposto senhas e login's de banco de dados, postagem foi feita pelo amigo Fabiano Matias [ Remote Execution - http://remote-execution.blogspot.com ] (: em uma thread do grupo onde ele colocou o seguinte: 
filetype:ini "Bootstrap.php" (pass|passwd|password|pwd)
Obviamente pra quem trabalha com segurança já conheçe as dork's do google, para filtrar informações para quem não conheçe vou " rezar a missa" brevemente pra não alongar a ideia! 

Google Hack DB Tool é uma ferramenta que possui praticamente 8 mil entradas. Ela possibilita aos administradores a verificação de existência de vulnerabilidades em sites, com base em informações armazenadas no Google. Compondo as suas funcionalidades podemos destacar:

- Detecção de informações sensíveis ou pessoais que estejam indevidamente expostas

- Detecção de arquivos e diretórios que estejam acessíveis (o que não deveria acontecer)
- Detecção de códigos que possam apresentar vulnerabilidades

A ferramenta é caracterizada pela extrema rapidez e eficiência para detectar a maioria das vulnerabilidades conhecidas, de maneira que possa atender às necessidades dos desenvolvedores
web. 

 Download: http://www.secpoint.com/freetools/google-hack-db-tool-1.2.zip
Pois bem agora que vocês já sabem como a coisa realmente funciona, fui conferir o bendito pra ver como aconteçe na pratica ! Happy Hacking! (6)* 

1º abra Oráculo e adicione a Dork  [ filetype:ini "Bootstrap.php" (pass|passwd|password|pwd) ] no campo de busca.  
detalhando: 
filetype = tipo de arquivo 
ini = arquivo de inicialização " configurações " 
bootstrap = app/config/bootstrap.php  Arquivos de Configuração PHP .  
pass|passwd|password|pwd = Abreviações Utilizados para senhas e Password's . 
site: = adicional que implementei para filtrar sites brasil ' HOHOHO" 
[ Clique na Dork para Visualizar Resultado (: ]  Temos então 10 resultados de websites brasileiros vulneraveis no caminho da Bootstrap . Vamos então explorar uma delas! (6)* 

http://www.sitevulneravel.com.br/application/configs/application.ini

resources.db.adapter                               = PDO_MYSQL
resources.db.params.host = "mysql.sitevulneravel.com.br"
resources.db.params.username = "vwi_temp"
resources.db.params.password = "Bartolomeu2010"
resources.db.params.dbname = "upgrade_sys"
resources.db.params.charset = "utf8"
resources.db.isDefaultTableAdapter = true
Dados expostos,perigo Constante! analisando arquivo, temos host,username,password de um banco de dados,
culpa de administradores desavisados!!depois apareçe no Zone-H e não sabe por que! :p Obviamente a 
exploração destas Dork's não é novidade pra ninguem da Segurança , principalmente para os Scriptkiddies!!! 
Em uma proxima postagem , irei apresentar falhas onde as dork's são importantissimas para busca de 
informações.
 
Então até la!!! VIVA Old Skool! (

"Everest" em linha de Comando! (:

Bom dia Senhores e Senhoras Amantes e Simpatizantes do Open Source. 

Dentre as Várias maravilhas do linux hoje vou apresenta simples comando para Analise completa de Hardware, similar ao " everest" utilizado pelo Window$ grrrr ;S , enfim descobri o comando atravez de um grande amigo, chamado ubuntu Tweak [ http://ubuntu-tweak.com/ ] que realiza ótimas configurações para linux sem muito esforço. 

Este aplicativo realmente é Exelente, ajuda muito na configuração do sistema operacional dentre varias outras que não citarei aqui!!! .. pois bem abra uma shell para que possamos testar nosso comando de hardware!  

Control+alt+T = Atalho Abertura de Terminal. 
sudo lshw = Comando Utilizado em Nosso Teste de Hardware. 
abaixo vai uma Screenshot do Resultado! 

ele gera um relatorio bem completo dos periféricos e aplicativos utilizados no sistema, exelente para quem busca informações detalhadas do seu linux, obviamente existem outros comandos para analise e performance do mesmo , no mais é isso. 

Forte abraço []'s 

segunda-feira, outubro 24, 2011

Endereços dos servidores POP e SMTP

Endereços dos servidores POP e SMTP dos principais FAI ( Fornecedores de Acesso a Internet )

9 Telecom
 Servidor POP : pop.neuf.fr
 Servidor SMTP : smtp.neuf.fr
 Servidor IMAP : imap.neuf.fr

9ONLINE
 Servidor POP : pop.9online.fr
 Servidor SMTP : smtp.9online.fr

ALICE ADSL
 Servidor POP : pop.alice.fr, pop.aliceadsl.fr
 Servidor SMTP : smtp.alice.fr , smtp.aliceadsl.fr
 Servidor IMAP : imap.aliceadsl.fr

AOL
 Servidor POP : pop.aol.com (port=110)
 Servidor SMTP : smtp.neuf.fr
 Servidor IMAP : imap.fr.aol.com

ALTERN.ORG
 Servidor POP : pop.altern.org ou altern.org
 Servidor SMTP : não
 Servidor IMAP : imap.altern.org (a ser alterado)

Bouygues BBOX
Serveur POP : pop3.bbox.fr
Serveur SMTP : smtp.bbox.fr
Serveur IMAP : imap4.bbox.fr

Bouygues Télécom
 Serveur POP : pop.bouygtel.fr
 Serveur SMTP : smtp.bouygtel.fr
 Serveur IMAP : imap.bouygtel.fr

CARAMAIL
 Servidor POP : pop.lycos.co.uk
 Servidor SMTP : smtp.lycos.co.uk
 Servidor IMAP : não

CEGETEL
 Servidor POP : pop.cegetel.net
 Servidor SMTP : smtp.cegetel.net
 Servidor IMAP : imap.cegetel.net

CLUB INTERNET
 Servidor POP : pop3.club-internet.fr
 Servidor SMTP : mail.club-internet.fr
 Servidor IMAP : imap.club-internet.fr

DARTY BOX (DARTYBOX)
 Servidor POP : pop.dbmail.com
 Servidor SMTP : smtpauth.dbmail.com

ESTVIDEO COMMUNICATION
 Servidor POP : pop.evhr.net
 Servidor SMTP : smtp.evhr.net

FREE
 Servidor POP : pop.free.fr
 Servidor SMTP : smtp.free.fr
 Servidor IMAP : imap.free.fr

FREESURF
 Servidor POP : pop.freesurf.fr
 Servidor SMTP : smtp.freesurf.fr
 Servidor IMAP : imap.freesurf.fr

GAWAB
 Servidor POP : pop.gawab.com
 Servidor SMTP : smtp.gawab.com
 Servidor IMAP : imap.gawab.com

GMAIL
 Servidor POP : pop.gmail.com (sur Ativar a opção POP do GMail)
 Servidor SMTP : smtp.gmail.com
 Servidor IMAP : imap.gmail.com

HOTMAIL
 Servidor POP : pop3.live.com (Porta 995 com conexão SSL)
 Servidor SMTP : smtp.live.com (Porta 25 com conexão SSL)
 Servidor IMAP : não
 Mais informações :
Aumentar a sua caixa Hotmail com um software de e-mails
Como configurar o hotmail no Mozilla Thunderbird

IFrance
 Servidor POP : pop.ifrance.com
 Servidor SMTP : smtp.ifrance.com
 Servidor IMAP : não

LA POSTE
 Servidor POP : pop.laposte.net
 Servidor SMTP : smtp.laposte.net
 Servidor IMAP : imap.laposte.net

MAGIC ONLINE
 Servidor POP : pop2.magic.fr
 Servidor SMTP : smtp.magic.fr
 Servidor IMAP : não

NERIM
 Servidor POP : pop.nerim.net
 Servidor SMTP : smtp.nerim.net

NET COURRIER
 Servidor POP : mail.netcourrier.com
 Servidor SMTP : o mesmo que o do seu provedor
 Servidor IMAP : mail.netcourrier.com

NOOS
 Servidor POP : pop.noos.fr
 Servidor SMTP : mail.noos.fr
 Servidor IMAP : imap.noos.fr

Numéricable
Servidor POP : pop.numericable.fr
Servidor SMTP : smtp.numericable.fr
Servidor IMAP : imap.numericable.fr

ORANGE
 Servidor POP : pop.orange.fr
 Servidor SMTP : smtp.orange.fr
 Servidor IMAP : imap.orange.fr

OREKA
 Servidor POP : mail.oreka.fr
 Servidor SMTP : mail.oreka.fr
 Servidor IMAP : não

SYMPATICO
 Servidor POP : pop1.sympatico.ca
 Servidor SMTP : smtp1.sympatico.ca
 Servidor IMAP : não

SFR
 Serveur POP : pop.sfr.fr
 Serveur SMTP : smtp.sfr.fr
 Serveur IMAP : imap.sfr.fr

TELE2
 Servidor POP : pop.tele2.fr
 Servidor SMTP : smtp.tele2.fr
 Servidor IMAP : não

TISCALI
 Servidor POP : pop.tiscali.fr
 Servidor SMTP : smtp.tiscali.fr
 Servidor IMAP : não

TISCALI-FREESBEE
 Servidor POP : pop.freesbee.fr
 Servidor SMTP : smtp.freesbee.fr
 Servidor IMAP : não

WANADOO
 Serveur POP : pop.wanadoo.fr
 Serveur SMTP : smtp.wanadoo.fr
 Serveur IMAP : não

YAHOO
 Servidor POP : pop.mail.yahoo.fr (sobre a ativação da option POP3 de Yahoo) Porta995 Com conexão SSL
 Servidor SMTP : smtp.mail.yahoo.fr Port 465 Com conexão SSL
 Servidor IMAP : imap.mail.yahoo.com (é preciso utilizar SSL com a porta 993)

VOILA
 Servidor POP : não
 Servidor SMTP : não
 Servidor IMAP : não

sábado, outubro 15, 2011

TI verde Conceitos e Praticas!

1. Introdução

A sigla "TI" é um acrônimo de Tecnologia da Informação, que pode ser definida como o conjunto de todas as atividades e soluções providas por recursos de computação. A TI ganhou importância quando as empresas modernas perceberam que as informações que detém fazem parte de seu patrimônio e que o modo como uma implementação informacional é efetuada em sua estrutura pode moldar toda a empresa. 
 
Segundo os estudos formulados pelo Sebrae em 2000, a TI quando bem utilizada, traz vantagens às pequenas empresas que, com a sua adoção, diminuem custos, aumentam sua produtividade e melhoram a qualidade de seus serviços.
Assim como outras atividades humanas, a TI provoca impactos no meio ambiente sendo tanto pela demanda de energia elétrica quanto pelos materiais utilizados na fabricação do hardware. Neste contexto, existem empresas que adotam as ações de TI Verde suportando os negócios e outras que oferecem as soluções.

Paralelamente ao desenvolvimento, a sustentabilidade ganha destaque a partir da década de 1980 com o Relatório de Brundtland (fonte: ONU, 1987), pois o rápido crescimento populacional acabou gerando uma grande dependência humana de energia fóssil, o que agride o meio ambiente de tal forma que os danos causados por ações antrópicas ao longo dos anos são praticamente irremediáveis na atualidade.

Assim, os conceitos de sustentabilidade e desenvolvimento econômico são recorrentes e se inserem em todos os segmentos da sociedade. Com a participação ou ativa ou como expectador das mudanças, todos participam direta ou indiretamente das ações que podem ser nomeadas como TI Verde.

Neste sentido, o mundo corporativo começa a adotar e, principalmente, criar ações para atender as necessidades de um negócio sustentável. Um exemplo é o Índice de Sustentabilidade Empresarial, criado como uma ferramenta de análise comparativa de empresas sob o aspecto da sustentabilidade corporativa com base na eficiência econômica, equilíbrio ambiental, justiça social e governança corporativa (fonte: BM & FBOVESPA, 2005) que impulsionam a adoção das ações propostas como TI Verde. As empresas com os melhores índices, possuem vantagens econômicas como facilidade de créditos e uma melhor imagem frente à sociedade, impulsionando as ações de marketing.

A Symantec Corp® revela que a TI Verde agora é essencial e faz parte do planejamento das empresas, segundo os próprios executivos de TI. Os dados revelam que 45% dos executivos entrevistados mostram que existem iniciativas em termos de TI Verde implementadas, principalmente para a redução do consumo energético e custos de resfriamento de equipamentos. (fonte: CUPERTINO, 2009).

A importância para os negócios, sociedade e futuro do planeta faz com que a TI Verde ganhe cada vez mais espaço e destaque para a comunidade técnica (profissionais de TI) que, através de pesquisa e desenvolvimento, atuarão diretamente no sucesso e na inovação tecnológica que auxilie o desenvolvimento sustentável.

2. As Práticas de TI Verde

As práticas de TI Verde podem ser divididas em três níveis:
  • TI Verde de incrementação tática:
  • Não modifica a infra-estrutura de TI nem as políticas internas, apenas incorpora medidas de contenção de gastos elétricos excessivos. São exemplos, o uso de monitoramento automático de energia disponível nos equipamentos, o desligamento dos mesmos nos momentos de não-uso, a utilização de lâmpadas fluorescentes e a otimização da temperatura das salas. Estas medidas são simples de serem implementadas e não geram custos adicionais às empresas.
  • TI Verde Estratégico:
  • Exige a convocação de uma auditoria sobre a infra-estrutura de TI e seu uso relacionado ao meio-ambiente, desenvolvendo e implementando novos meios viáveis de produção de bens ou serviços de forma ecológica. São exemplos, a criação de uma nova infra-estrutura na rede elétrica visando à sua maior eficiência e sistemas computacionais de menor consumo elétrico (incluindo novas políticas internas e medidas de controle de seus descartes). Além da preocupação com a retenção de gastos elétricos, o marketing gerado pelas medidas adotadas pela marca é também levado em consideração.
  • Deep IT (TI Verde "a fundo"):
  • Mais amplo que os dois primeiros, incorpora o projeto e implementação estrutural de um parque tecnológico visando a maximização do desempenho com o mínimo gasto elétrico; isto inclui projetos de sistemas de refrigeração, iluminação e disposição de equipamentos no local com base nas duas primeiras estruturas anteriores (o que demanda um custo muito maior que as duas primeiras).
Sendo simples a implementação do TI Verde Tático (com vantagens significativas, porém limitadas), podemos observar a redução do consumo energético com o desligamento dos monitores em desuso - que representam 50% do total dos gastos elétricos quando o mesmo é de CRT e 30% ou menos quando são de LCD (fonte: PRADO, 2005).
Um exemplo efetivo de práticas de TI Verde Estratégico foi implementado pelo Banco Real no o ProjetoBlade PC, aplicado em 2007: o Banco substituiu 180 computadores convencionais por 160 Blade PCs, equipamentos que possibilitam ficar na mesa do usuário apenas o teclado, o mouse, o monitor e uma pequena caixa responsável pela conexão destes periféricos com o Blade PC. Como resultado, houve redução estimada de 62% da energia elétrica consumida pelos computadores e 50% da energia consumida pelo ar condicionado utilizado na Mesa de Operações; a economia estimada é de US$ 355 mil em 4 anos pela redução do número de micros; a manutenção mais barata dos mesmos, o gerenciamento centralizado e a facilidade de mudança de layout representam uma estimativa de economia de US$ 300 mil em 4 anos (fonte: YURI, 2008).
No nível mais radical, o Deep IT, temos como exemplos as seguintes empresas:
  • Google: pratica ações que incluem desde o planejamento de seu datacenter à locomoção dos funcionários com veículos híbridos e o consumo de energia alternativa como a solar;
  • Yahoo: com plano ambiental agressivo que inclui desde a construção de datacenters com produção de acordo com as normas e exigências ambientais, o uso da virtualização de servidores, a gestão do consumo elétrico gerado pelo resfriamento de seus equipamentos até a extensão de medidas para o cotidiano dos funcionários.

3. TI Verde e as Empresas

Atualmente, existem alguns pontos em que se concentram as ações de TI Verde quando se trata do mundo corporativo: este foco, normalmente, é em função do resultado que se espera com o emprego das medidas e ações "verdes".
Um conjunto de práticas nos três níveis torna-se interessante para empresas, pois a aplicação de ações de TI Verde traz a redução de custos com energia elétrica como também as iniciativas de responsabilidade sócio-ambiental da instituição. Assim podem-se agrupar as ações em virtude destes resultados:

Redução do consumo de energia e das emissões de carbono

  • Atualização de sistema operacional e hardware: O desenvolvimento de projetos de atualização do parque de estações de trabalho pelas empresas tanto em termos de hardware como software são, hoje, os principais pontos de atuação que visam tanto a redução do consumo energético quanto a redução das emissões de carbono;
  • Virtualização de Servidores: utilização de software que "emula" uma máquina virtual como um servidor físico, criando assim, um ambiente isolado e independente da máquina "real". Deste modo, uma máquina física, dentro de sua capacidade de desempenho pode "hospedar" diversas máquinas virtuais independentes. (fonte: Microsoft®, Virtualization).
A utilização otimizada dos equipamentos físicos fornece a manutenção da ocupação física na empresa somada à expansão do desempenho, reduzindo assim as "pegadas ecológicas" que poderiam ser causadas pela aquisição de novos equipamentos como o aumento do espaço necessário e a energia correspondente para a sua refrigeração. Em termos de descarte de equipamentos, a virtualização auxilia na redução da contaminação ambiental ao substituir os equipamentos físicos com máquinas lógicas. (fonte: LYNCH, 2009)
  • Os Sistemas de Gestão Empresarial, conhecidos como ERP (Enterprise Resource Planning), são sistemas de informação que integram todos os dados de uma empresa, possibilitando a automação de todas as informações do negócio. As implantações de sistemas ERP reduzem custos, aperfeiçoam o fluxo de informação e o processo de gerenciamento (fonte: Wikipedia, ERP). Assim, com a redução dos riscos e oferecendo recursos que reduzem desperdícios na indústria, têm-se resultados diretamente ligados à sustentabilidade.
    A Microsoft® lançou um produto nesta linha que tem por idéia mensurar o impacto ambiental que as atividades de uma empresa causam, focando em especial o consumo de energia. Com estas informações, a empresa pode atuar nos pontos específicos e conseqüentemente reduzir tanto o consumo de energia como a emissão de gases de efeito estufa (fonte: ZMOGINSKI, 2009).

Infraestrutura e conservação energética

No esforço conjunto dos profissionais da área de TI, a infra-estrutura empresarial torna-se cada vez mais o foco de ação principal para a redução do consumo de energia e otimização da tecnologia. O vice-presidente de eco-responsabilidade da Sun Microsystems, Dave Douglas, considera os 10 passos seguintes para que um datacenter seja sustentável e com eficiência financeira. (fonte: CIOInsight, 2006):
  1. Avaliar o consumo e eficiência energética;
  2. Redesenhar o sistema de resfriamento;
  3. Reconsiderar redundâncias;
  4. Utilizar equipamentos ajustáveis em espaço e energia;
  5. Virtualizar "storage" e servidores;
  6. Utilizar dispositivos "Energy Star" ou com outros "selos Verdes";
  7. Doar ou reciclar servidores em desuso;
  8. Verificar a infra-estrutura predial;
  9. Pesquisar fontes alternativas de energia;
  10. Envolver a gerência no processo.

4. A TI Verde e a sociedade

Algumas ações simples e outras que exigem um pouco mais de conhecimento técnico podem ser adotadas pela sociedade afim de colaborar com a sustentabilidade do planeta. Exemplos como a aquisição de produtos desenvolvidos com materiais sustentáveis ou que sejam produzidos dentro de padrões classificáveis como "verdes" são atitudes que todos devem ter no momento da aquisição de um novo produto.

A sociedade e o e-lixo

O e-lixo (ou lixo eletrônico) é um termo designado para qualquer equipamento eletrônico que perdeu a sua vida útil e, conseqüentemente, foi descartado; podemos citar como exemplos um desktop, monitor, celular, dentre outros. Outra possível semântica para o e-lixo é para todos os equipamentos eletrônicos que não atingem o seu propósito original, ou seja, um produto que não consegue mais satisfazer as necessidades de seu dono. É importante ressaltar também que o significado de lixo eletrônico não deve ser confundido com o envio de publicidade via e-mail denominado spam. (fonte: VILELA, 2008)
Os produtos eletrônicos possuem em sua estrutura metais e compostos químicos como mercúrio, chumbo, cádmio, dentre outros que podem afetar diversas formas de vida - inclusive o ser humano - podendo causar dentre diversos males, anemia, câncer, problemas nos rins, pulmões e afetar o sistema nervoso e reprodutivo, podendo levar ao óbito.

Para tal, existe uma série de práticas que podem ser realizadas para o tratamento correto do e-lixo como o descarte correto em institutos e organizações que podem tratá-lo sem que cause impactos significativos ao meio ambiente (vide Apêndice com a relação de algumas entidades que utilizam os computadores usados ou comercializam sua sucata com empresas recicladoras), doá-lo quando em bom estado e com possibilidades de uso a quem precise dos mesmos, e reduzir o consumismo supérfluo de tendências.

A sociedade e a capacidade de processamento

Seguindo o raciocínio da famosa Lei de Moore - o qual cita que a cada 18 meses o tamanho dos microchips reduz-se pela metade -, antevemos que ainda nesta década, teremos o fim da era do silício mesmo com a impulsão da nanotecnologia, pois se alcançará o limite imposto pela física para o silício - que é da ordem de 50 nanômetros - quando efeitos quânticos tornarem-se apreciáveis.
O problema com as tecnologias existentes atualmente é que a fina camada de óxido de silício que reveste os transistores não impede que ocorram grandes vazamentos de eletricidade nos circuitos integrados, provocando superaquecimento e aumento do gasto de energia do equipamento.

O desafio da TI Verde está impresso também no projeto dos processadores; até alguns anos atrás, o aumento da freqüência do clock - que dava às máquinas mais poder de processamento - também fazia crescer, praticamente na mesma proporção, o consumo de energia e o calor gerado pela maior quantidade de transistores no chip.
A seguir, o objetivo foi reduzir o tamanho e o consumo de energia do chip por meio da substituição do material utilizado na fabricação dos transistores, o qual a Intel alcançou com o lançamento de seu processador Core 2 Duo, utilizando-se o háfnio. (fonte: VASCONCELOS, 2007).

O óxido de háfnio, um material de elevado dielétrico (ou high-k, em inglês), tem como principal característica a alta capacidade de armazenar cargas elétricas com menos dissipação de calor. Tudo isto aliado à alta capacidade de processamento, gerou CPUs cada vez mais eficientes, tanto computacionalmente quanto energeticamente. (fonte: VASCONCELOS, 2007).
No entanto, esta relação entre desempenho e consumo de energia pode ser avaliada pelo consumidor no momento da compra de um novo equipamento. Ou seja, a compra consciente do computador com o dimensionamento correto da utilização da capacidade de processamento (uso de computadores para jogos, navegação, atividades domésticas, tratamento de imagens dentre outros) deve fazer parte das ações para economia de energia, ajudando a conservar o planeta.

A sociedade e as configurações de energia

Independente do sistema operacional utilizado (plataforma Linux, Windows®, MaC®, dentre outros), o usuário doméstico pode modificar as configurações de energia dos computadores. Mesmo sendo a relação entre o consumo de energia e o desempenho do equipamento inversamente proporcionais, é possível balancear tal equação afim de minimizar as perdas de desempenho e colaborar com a sustentabilidade.

Assim, a parametrização para um melhor desempenho energético com a redução de freqüência e voltagem é uma medida simples e que para o uso doméstico de computadores não implica na percepção de performance, controle de freqüência e demanda. No Linux é possível efetuar este controle pelo recurso CPUFREQ do kernel (fonte: LESS WATTS).

Ainda para Linux, a opção de gerenciamento de energia chamada "modo Laptop" faz com que o kernel procure gerenciar o IO de disco da melhor maneira possível. Alguns distribuidores incluíram o "modo Laptop" separado da instalação padrão, permitindo que este script ative o modo automaticamente em alguns casos.

Já na plataforma Windows, a central "Opções de Energia do Sistema Operacional" possibilita gerenciar os tempos de inatividade de alguns componentes e processos que consomem a maior parte da energia de um equipamento como monitor, disco rígido, configurações de desktop, placa sem fio (wireless), processador, processo de exibição de vídeos, consumo energético dos componentes PCI Express, bem como o comportamento do resfriamento do equipamento. (fonte: RUSSEL, 2005)
A ação mais simples a ser adotada pelo usuário é não configurar o protetor de tela e desligar o monitor nos momentos de não operação do mesmo. Isto deve se a consideração que um computador ligado 1hora/dia consome 5kwh/mês, e que ao final de um ano, emite 18 kg de CO2 no ambiente. Isto significa que reduzir uma hora do tempo de operação do computador doméstico implica na redução da emissão de CO2 equivalente à emissão de um carro à gasolina percorrendo 120 km (fonte: AKATU, 2008).

5. Conclusões

Com a crescente expansão da TI Verde, as empresas de pequeno e médio porte passaram a adotar tais medidas na busca pela sustentabilidade com ganhos econômicos e ambientais, antes seguidas somente por grandes empresas e corporações. Segundo pesquisas realizadas pela IBM, 66% das empresas de médio porte do país já acompanham os seus consumos de energia e 70% delas planejam ou já realizam atividades para reduzir o impacto ambiental. (fonte: ARIMA, 2009). 
 
O conceito de TI Verde cresce também na sociedade mesmo que de forma inconsciente, já que a preocupação ambiental é assunto recorrente no dia-a-dia de todos. O que falta, de fato, é a conscientização do usuário doméstico de que a TI Verde também pode ser praticada em sua casa com pequenas mudanças de comportamento e ações voltadas à redução da emissão de CO2. Para tal, é necessário fazer uso da reutilização e reciclagem de equipamentos, investimentos (quando necessários) em suprimentos com "selo verde" e evitar a subutilização de sistemas, otimizando o uso de quaisquer produtos sejam eles eletrônicos ou não.

Apêndice: Algumas entidades que utilizam os computadores usados ou comercializam sua sucata com empresas recicladoras

  • Associação Brasileira de Redistribuição de Excedentes
  • Museu do Computador de São Paulo
  • Associação Brasileira de Redistribuição de Excedentes
  • Centro de Recondicionamento e Reciclagem de Computadores do Distrito Federal (CRC/DF)
Versão em PDF: http://www.hardware.com.br/arquivos/TI-Verde.pdf
 Deixo aqui meu Forte abraço pro TIO Hermi (: que direta e indiretamente acompanha este humilde blog! 
Fonte: Por Arthur Garcia Takahashi, Daniela Almeida, Davi Silva, Douglas Henrique Ferreira, Eiji Komatsu, Mateus de Lara Ribeiro e Paulo Henrique Silva.
Abração a Todos Inté! (:

Compilação TI verde! Gastar Energia pra que mané?



Computação verde: Crie um data center verde
As empresas de todo o mundo começam a pensar em formas de economizar energia e reduzir custos, embora ainda haja pouca orientação sobre como agir nesse sentido. Comece com a nossa introdução ao planejamento, à criação e à implementação de um data center verde na sua organização. Dave Ohara
Administração do Windows: Um guia para a replicação do Active Directory
O Active Directory proporciona uma grande flexibilidade para o suporte a ambientes de grande porte ou descentralizados. No entanto, manter a integridade dos seus dados pode representar um desafio. A replicação do Active Directory define a forma como as atualizações são comunicadas por todo o ambiente e como os conflitos são resolvidos. Saiba aqui tudo o que é preciso para vencer esse desafio. Laura E. Hunter
System Center: Novas ferramentas para o gerenciamento de atualizações de software
Você descobrirá, no System Center Configuration Manager 2007, um mecanismo totalmente novo para lidar com o gerenciamento de atualizações, garantindo melhor conformidade e imposição em cada cliente. Saiba como essa abordagem aperfeiçoada pode ajudá-lo a ter todas as suas máquinas atualizadas. Steve Rachui
Comunicações: Servidores de Transporte de Borda do Exchange na Microsoft
Como a Microsoft garante a entrega de mensagens legítimas aos funcionários e ao mesmo tempo afasta o fluxo de conteúdo mal-intencionado do ambiente de mensagens? Uma forma de fazer isso consiste na implantação dos servidores de Transporte de Borda do Exchange Server 2007 e do Forefront Security for Exchange Server. Descubra como essas tecnologias podem manter sua organização segura. Kay Unkroth
SQL Server: Otimizando o desempenho de CPU do SQL Server
A chave para uma utilização íntegra de CPU no seu servidor de banco de dados consiste em verificar se a CPU está mesmo dedicando seu tempo a processar o que você deseja que seja processado, ou se está desperdiçando ciclos com código mal otimizado ou hardware ineficiente. Eis algumas dicas para obter o máximo do SQL Server e do seu hardware. Zach Nichter

TI verde: Sustentabilidade - Sua empresa se importa com ela?

O termo TI verde começou a aparecer há sete ou oito anos. A maioria dos americanos se familiarizou com esse termo por meio dos recentes anúncios televisivos da IBM no estilo Disney. O problema é que a TI verde não se tornou popular tão rapidamente quanto os sábios e os defensores originalmente esperavam. A intenção existe, mas está faltando a ação.

Muitas empresas admitem ter uma preocupação quanto ao meio ambiente, mas apenas algumas estão remodelando seus datacenters ou dando passos importantes em direção a uma tecnologia mais verde. Experiências de consultoria recentes me levaram a formular uma hipótese sobre a TI verde: ou os executivos de sua empresa assumiram um compromisso pessoal com a TI verde ou sua empresa não se importa realmente.
O “compromisso pessoal” pode tomar a forma de uma preocupação pessoal de um CEO quanto ao meio ambiente ou pode surgir da decisão de um conselho de buscar técnicas de negócios mais verdes por motivos de publicidade.

A causa não importa: com um mandado corporativo, é possível chegar a uma TI verde. Sem esse mandado de nível superior, a TI verde não existirá. Além das preocupações pessoais com o meio ambiente ou dos motivos de publicidade, como podemos criar esse mandado em mais empresas?

O que é a TI verde?

Geralmente, TI verde significa apenas a criação de uma infraestrutura de TI que utiliza menos recursos — principalmente, a energia. Isso refere-se não apenas à energia consumida pelos computadores, mas também à energia necessária para mantê-los resfriados e gerenciá-los pela rede corporativa. No escritório e no datacenter, os desktops e servidores exigem uma quantia extraordinária de energia.

Outra informação um pouco incorreta sobre as iniciativas de TI verde envolve a virtualização como uma tecnologia mais verde. Vamos deixar bem claro: a virtualização não é automaticamente igual à TI verde.
A verdade é que a virtualização nos permite usar menos servidores, mas os servidores utilizados geralmente são maiores, mais potentes, consomem mais energia e produzem mais calor. Eles também têm uma probabilidade maior de usar toda a sua carga de trabalho, o que significa que estão em um nível máximo de consumo e de produção de calor. Existem alguns casos nos quais a virtualização realmente aumentou os custos de energia, como no caso de um servidor totalmente novo e superpotente substituindo várias máquinas mais antigas e com consumo menor.

A VDI (Virtual Desktop Infrastructure - Infraestrutura de área de trabalho virtual) também é algo a ser encarado de maneira cética ao se tratar de TI verde. Por exemplo, mudar 50 computadores de 250 watts para um único computador de 2.000 watts pode parecer uma economia de energia de 10.000 watts, a menos que, é claro, você mantenha esses computadores como pontos de extremidade de VDI. Se fizer isso, você estará, na verdade, adicionando 10.000 watts de consumo de energia e trabalhando no sentido contrário da TI verde.
Se conseguir reduzir o consumo de energia, você poderá ser mais verde. No processo, você quase sempre reduzirá a saída de calor, pois o consumo de energia leva diretamente a calor. E, a propósito, você também pagará menos pela eletricidade. Essa é a maneira de criar um mandado executivo: o verde pode ter um ótimo efeito colateral de relações públicas na economia de dinheiro.

Verde = Mais econômico

A economia de dinheiro é algo que a maioria das empresas consegue compreender. Este era, na verdade, o tema dos comerciais de TI verde da IBM: você faz algo pelo meio ambiente e, potencialmente, economiza bastante dinheiro. O problema é que a maioria das empresas não tem uma ideia clara de quanto realmente gasta com o energia e o resfriamento de todos os seus computadores.

A conta de eletricidade é geralmente apenas uma grande somatória que inclui os gastos com lâmpadas, máquinas de café, entre outros. É difícil determinar exatamente as áreas em que se deve economizar. Além disso, a maioria dos departamentos de TI nem sabe a quantidade de energia que é consumida por um determinado servidor. Você pode simplesmente verificar a placa de dados na parte de trás, pois a potência em watts listada nela refere-se à saída máxima da fonte de alimentação.

A maioria de nós não executa os servidores em carga máxima o tempo todo e, por isso, eles geralmente consomem menos energia do que a potência em watts indicada. Se esse for o caso, quais servidores são os melhores candidatos para potenciais economias? Por fim, a maioria das empresas não deseja passar por uma grande reestruturação simplesmente para obter uma vaga redução nos custos de energia. Qualquer tipo de reestruturação é arriscado, trabalhoso e perturbador. As economias valerão a pena?

Tornando-se verde por meio de uma melhor utilização

O verdadeiro truque para alcançar a TI verde é aceitar o fato de que seus ativos de TI atuais são fixos. Você não vai perder muitos servidores físicos. Entretanto, o que você pode fazer é ter uma ideia melhor da utilização dos servidores atuais e de quais servidores são mais eficientes. Identifique quais os servidores que produzem mais carga de trabalho com menos energia. Ao identificar as máquinas mais eficientes e aquelas com capacidade extra, você pode começar a consolidar as tarefas lentamente — usando a virtualização, na maioria dos casos — e, talvez, a reduzir um pouco os custos de energia.

Ainda mais importante, você pode evitar a adição de ativos de TI. Ao fazer uma melhor utilização dos servidores altamente eficientes existentes, você pode oferecer suporte a novas iniciativas de TI sem adicionar mais carga de energia. Isso não é tão empolgante quanto obter uma redução significativa no consumo de energia por meio da eliminação de vários servidores, mas essa é uma maneira lenta, porém estável, e menos arriscada de controlar o aumento de energia e obter uma abordagem mais verde para a TI no futuro.

À medida que você começar a adquirir novos servidores, concentre-se nas proporções entre energia e carga de trabalho. Selecione máquinas que forneçam a maior potência de computação pelo menor consumo de energia. Tente garantir que cada watt seja aproveitado ao máximo movendo servidores mais antigos e menos eficientes para máquinas virtuais em execução em servidores mais novos e mais eficientes.

Na falta de um mandado executivo orientado por outros motivos, essa é a abordagem que a maioria das empresas pode implementar de maneira prática. Elas economizarão dinheiro e, consequentemente, ajudarão um pouco o meio ambiente.
Fonte:  Don Jones  é tecnólogo de alto nível da Concentrated Technology (ConcentratedTech.com)

Mobile Media Converter 64 bit's bt5 :D

Hoje estive fazendo alguns Videos para comunidade escolar da qual participo, e tive problemas quanto a visualização do mesmo em outras plataformas... Pois bem... Vamos aos fatos: 

Atualmente estou usando Back Track 5 Gnome / Recorder My Desktop / Gedit / para realizar estas video aulas, a mesma me trouxe uma extenção chamada .OGV no final de cada gravação. 
Theora - Baseado no formato VP3 que possui a extensão de arquivo .ogv, adaptado para o formato Ogg Theora (vídeo streaming/internet/televisão na internet) possui a extensão do arquivo .ogg. 
para resolver este problema tive que utilizar um aplicativo chamado: Mobile media converter da empresa [www.miksoft.com] , que ajudou pra caramba na conversão dos arquivos! (: porem estou usando plataforma 64 bit's e o pacote .deb ferecido pelo website não possui essa arquitetura, então tive que forçar a instalação
do pacote da sequinte forma: 
Baixe Aplicativo : 
http://www.miksoft.net/products/mmc-older/ 
abra um terminal : CTRL+ALT+T adicione comando: 
sudo wget --output-document=/etc/apt/sources.list.d/medibuntu.list http://www.medibuntu.org/sources.list.d/$(lsb_release -cs).list && sudo apt-get --quiet update && sudo apt-get --yes --quiet --allow-unauthenticated install medibuntu-keyring && sudo apt-get --quiet update
em seguida instale a biblioteca requerida: 
sudo apt-get install mencoder ia32-libs
Forçe a instalação do pacote:  
sudo dpkg -i --force-architecture caminhodopacote/nomedopacote
Onde: 
caminho do pacote: caminho onde esta o arquivo .deb que foi baixado no site oficial. 
nome do pacote: nome e Versão do arquivo que foi baixado. 

o Mobile media converter se encontra no caminho Applications -> Sound & Video .
 

Abração procêis e luz na caminhada!
INté!

quarta-feira, outubro 05, 2011

Tools for performance monitoring on Linux

Comandos Basicos de Administração e Monitoração Linux shell :
top – process activity
vmstat – system activity, hardware and system information
uptime – average of system load
ps,pstree – list process
free – memory usage
iostat – average of CPU, disk activity
sar – collect and report system activity
mpstat – multiprocessor usage
pmap – process memory usage
netstat – network statistics
iptraf – real time network statistics
tcpdump – network traffic monitoring
strace – system calls
dstat – Versatile resource statistics
htop – process viewer for Linux, similar to top

Happy hacking!

segunda-feira, outubro 03, 2011

o GRUB e sua Recuperação.

GNU GRUB (ou apenas GRUB) é um multi-carregador de um sistema operacional (multi boot boot-loader) criado pelo projeto GNU. É utilizado, normalmente, quando se deseja que um computador tenha dual booting, ou seja, que o usuário possa escolher ao iniciar a máquina, um sistema operacional (SO) dentre dois ou mais sistemas instalados. 

Em termos técnicos ele é um programa que pode carregar qualquer arquivo (ficheiro) executável com um cabeçalho multi boot nos seus primeiros 8 kB. Este cabeçalho consiste uma sequência de bits com: 32 bits de um "número mágico", 32 bits de flags mais 32 bits de um outro número mágico seguidos pela imagem do arquivo executável.

O GNU GRUB foi desenvolvido a partir de um pacote chamado GRand Unified Bootloader, de onde deriva o acrônimo GRUB. O sistema operacional GNU utiliza o GRUB, assim como muitas distribuições GNU/Linux. Enquanto os "carregadores" tradicionais mantém uma tabela de blocos no disco rígido, o GRUB pode rastrear o sistema de arquivos. Na sua versão do ano 2005 ele suportava os seguintes sistemas de arquivos:

O GRUB também suporta a instalação em disquetes. Outros carregadores populares incluem LILO e SYSLINUX. Atualmente em desenvolvimento, o GRUB 2 substituiu o GRUB que passou a se chamar GRUB Legacy (ou, em português, GRUB legado). O desenvolvimento do GRUB 2 pretende fundir os fontes com o projeto PUPA para criar a próxima geração do GNU GRUB.


O GRUB suporta a adição de 14 cores em substituição ao fundo de tela negro. Algumas distribuições que incluem o GRUB utilizam fundos de tela customizados. Os usuários também podem incluir as suas próprias customizações.
Certo Wikipedia da uma ótima referencia resumida sobre grub, porem depois de muitos " testes" pode se perder as configurações deste arquivo.Sim..... isso aconteçeu comigo e consegui resolver da seguinte forma: 
O nosso GRUB fica localizado na MBR, então para recuperá-lo de forma simples e fácil siga as instruções a seguir:Você vai precisar de um CD-Live // Depois de carregado o Live-CD, entre no seu terminal e digite os comandos a seguir:
1. Verificando a partição referente ao seu GNU/LINUX:
$ sudo fdisk -l
(caso esteja utilizando outro SO que não o Ubuntu, faça o login como ROOT)

2. Vamos montar o seu sistema de arquivos na sua partição GNU/Linux no diretório /mnt.
$ sudo mount -t ext4 /dev/sda6 /mnt
Neste caso o meu sistema de arquivos é EXT4 e a minha partição Linux é a sda6, troque esses campos conforme a sua configuração.
3. Instalação do Grub:
$ sudo grub-install --root-directory=/mnt /dev/sda
Ufa --' Agora vai.. 

Teamviewer 6 work backtrack 5


Teamviewer no backtrack5 ;)
- O que é Teamviewer????  é uma aplicação utilizado por técnicos de informática (na maioria das vezes ) para suporte remoto de microcomputadores . A mesma ja esta na sua versão 6 e a cada dia mais ganha mais apreciadores .

Hoje por exemplo tive que atender cliente utilizando " Window$ " , e como estou usando BT5 como padrão em meu laptop, fiquei sem saber o que fazer ;S , temos o remote desktop client  para o linux, entretando é maior " função" para trabalhar com essa ferramenta ¬¬, pensando nisso lembrei-me do Teamviewer \o/ leve , facil de trabalhar principalmente para os usuarios leigos. 

Então let's hack! 6*
- Entre no site oficial e faça Download da sua plataforma, no caso aqui estamos usando linux para acessar plataforma " window$" . Abra seu Terminal e digite os Seguintes comandos: 
root@Oliverkall:~# wget http://www.teamviewer.com/download/teamviewer_linux.deb
root@Oliverkall:~# dpkg -i teamviewer_linux.deb
root@Oliverkall:~# teamviewer6
Em seguida teste a aplicação acessando seguinte caminho: 
Applications > Network > teamviewer6 

Caso a mesma não execute chame a aplicação em modo root. 
perl -i -pe 's/$userid = 0/$userid != 0/' /opt/teamviewer/teamviewer/6/bin/wrapper  

Screenshot!  ;)

Bash*

  Comandos Basicos Bash! =) 
 
Montar uma imagem raw
# ver filesystem
sudo fdisk -ul file.img

# criar um loop device
sudo losetup -fs file.img -o $((START_SECTPR*512)) // depende do filesystem

# montar o loop device
sudo mount -o loop /dev/loop0 /mnt

Bloquear CTRL+C no Bash
#!/bin/bash
trap '' 2 # ou INT
echo "This is a test. Hit [Ctrl+C] to test it..."
sleep 20
trap 2


Converter um IPv4 inteiro em xxx.xxx.xxx.xxx
/* Código em C */
int i = 171485376;
printf("%d.%d.%d.%d\n", i & 0xff, (i>>8) & 0xff, (i>>16) & 0xff, i>>24);
/* 192.168.56.10 */

Substituir \n com o sed
$ sed ':a;N;$!ba;s/\n/NADA/g' teste

Deletar somente binários ELF
$ for i in *; do file "$i" | grep -Fqw "ELF" && rm "$i"; done

Configurar data e hora
# date -s MMDDHHmmAAAA

Via NTP:
# apt-get install ntpdate
# ntpdate ntp.cais.rnp.br

Enviar a data e hora do sistema para o BIOS
# hwclock --systohc

Compartilhamento de conexão
# iptables -t nat -A POSTROUTING -o eth0 -j MASQUERADE

Redirecionamento para host
# iptables -t nat -A PREROUTING -i ppp0 -p tcp --dport 81 -j DNAT --to-destination 192.168.0.100

Redirecionamento de porta
# iptables -t nat -A PREROUTING -p tcp --dport 80 -j REDIRECT --to-port 3128

Backup de arquivo
$ cp arquivo.conf{,.old}
ou mesmo
$ cp arquivo.conf{,.`date +%Y%m%d`}

watch sem watch
$ while :; do netstat -na; sleep 2; done

Túnel SSH
ssh -ND 9999 usuario@host
-N -> não executa comandos remotos
-D 9999 -> porta do SOCKS local
É necessário configurar o browser para usar o SOCKS v5 localhost:9999.

Montar compartilhamento Windows
# mount -t smbfs //192.168.0.1/dados /mnt -o username=admin,password=1234

chmod em tipos de arquivo
$ find . -type d -exec chmod 755 {} \;
$ find . -type f -exec chmod 644 {} \;
$ find . -type f -name '*.htm*' -exec chmod 644 {} \;

Testar SSLv2
$ openssl s_client -connect localhost:443 -ssl2
$ openssl ciphers -v 'HIGH'

dos2unix sem dos2unix
$ cat -vet dos.txt | sed 's/\^M\$//g' > unix.txt
ou
$ tr -d '\r' < dosfile > unixfile

Renomear placas de rede em distros Debian-based
# vi /etc/udev/rules.d/70-persistent-net.rules

domingo, outubro 02, 2011

Status musical no Pidgin (=


Bom dia! 
- Continuando as postagens sobre o BT5, hoje vou falar sobre Plugins musicais para pidgin! Como a maioria ja sabe pidgin é um agregador de varios mensageiros  em um mesmo cliente, ótima ferramenta para quem possui varias contas de Email. (:

- Nesta postagem vou apresentar como instalar plugin musical, para que todos possam visualizar quais musicas estão ouvindo. Como padrão estou usando o Rhythmbox 0.12.8 , ótimo gerenciador musical com varios plugins \o/ . O pidgin possui varios plugins musicais, para seus players, então vou coloca aqui os principais. 

  • D-Bus script by Pidgin developer: works with Rhythmbox and Quod Libet. Will almost certainly not cause a crash. If you are on a Unix system and using one of these two music players, just run “python [name of script]” while Pidgin is running. If you’re on Windows… it’s not so easy. (And you’re probably using different music players anyway.)
  • musictracker
    MusicTracker is a plugin for Pidgin (previously known as Gaim) which displays the music track currently playing in the status message of various accounts such as AIM, Yahoo, MSN, Gtalk (Jabber), etc., i.e. any protocol Pidgin supports custom statuses on. Support for a wide range of audio players on both Windows and Linux platforms is planned. Currently supported players: Amarok, Rhythmbox, Audacious, XMMS, MPC/MPD, Exaile, Banshee, Quod Libet on Linux. Winamp, Windows Media Player (9+), iTunes, Foobar2000 (incomplete support) on Windows.
    Is apparently the best option, but also a very frequent cause of crashes.
  • Pidgin-currenttrack
    Current Track plugin will update your Gaim/Pidgin user info, available message or away message, and buddy icon from iTunes, Winamp, RealPlayer, WMP, Musicmatch, MediaMonkey, XMPlay, Yahoo! & Foobar2000 in Windows and XMMS, Rhythmbox, & Amarok in Linux.
    Has been known to crash Pidgin. I’ve heard it has a feature where you can type “/currentrack” in a conversation window to send your current track, which is pretty cool. Not very useful if it crashes Pidgin though, is it?
  • Pidgin Now Playing
    This plugin will replace %now-playing in your status message with metadata from the currently playing song in a MPRIS compatible media player (currently including BMPx 0.4, VLC SVN trunk, Audacious 1.4.0 devel), if any.
    It appears that MPRIS is an informal standard for music players to support a common interface. In an ideal world, all music players would support this standard, and in the real world, this may or may not happen. Amarok is also probably supported already.
  • MusicInfo
    MusicInfo is a plugin for the Pidgin instant messaging client. It lets you display the music that you are listening to in your away message, available message, and profile.
    For Winamp, and some players that have a Winamp emulation mode.
  • Autoprofile
    AutoProfile is an extension to Gaim that allows users to create customized away messages and profiles using dynamic “components” that automatically update on a regular basis. Generated text can include song names from XMMS/Winamp/iTunes, fortune quotes, computer uptime, the contents of a Web page or a text file, the output of a program, and timestamps.
    Is for Gaim 2.0.0beta3, not updated for Pidgin as of 2007-11-11 (last updated 2006-04-05, so don’t hold your breath).
  • AmarokPidgin
    A plugin for Amarok that updates your Pidgin status message with what you are currently listening too.[sic]
    Is for Amarok only.
  • Pidgin-Rhythmbox
    The Pidgin-Rhythmbox plugin will automatically update your Pidgin user info and status message with the currently playing music in Rhythmbox. If the artist and title are known, it will also attempt to create a link to the song’s lyrics by using Google’s “I’m Feeling Lucky” feature. Pidgin-Rhythmbox will replace %rb in your user info and status message with the song information.
    Is for Rhythmbox only.
  • Write your own script. You can set status from the command line with purple-remote "setstatus?status=whatever&message=whatever". For example, purple-remote "setstatus?status=available&message=" will clear the status message. You can also use D-Bus. There is a very good introduction to D-Bus here, and Ars Technica has some examples of using Pidgin’s D-Bus interface. This is essentially what many of the above plugins do (those that don’t crash your Pidgin). Assuming that you have a way of getting the song (or whatever string you want in your status message) somehow (through D-Bus, maybe) in a script, this is certainly the most flexible option, as you can do exactly what you want with the status message (append to it v/s replace it, add the current time, artist but not title, whatever). You can also look at D-Bus Howto for Pidgin (who wrote that? :), but the harder part is getting the current song from your music player
Fonte: shreevatsa  Enfim faça sua escolha e boa Sorte! :p 
Particularmente eu optei pelo MusicTracker então vamos la! :D 

MusicTracker é um plugin para o Pidgin que mostra a música que está tocando atualmente no status de vários protocolos como AIM, Yahoo, MSN, Gtalk(Jabber), etc. e.g qualquer protocolo do Pidgin que suporte status personalizado. O suporte para uma grande faixa de player tanto para Windows como para Linux é planejado. Players suportados atualmente: Amarok, Rhythmbox, Audacious, XMMS, MPC/MPD, Exaile, Banshee, QuodLibet no Linux. Winamp, WIndows Media Player(9+), iTunes, Foobar2000(suporte incompleto) no Windows.

Dependências: 
O MusicTracker depende de alguns pacotes para ter sua compilação e funcionalidade completa, os pacotes são:
  • O Pidgin (pidgin, pigin-data) e seus pacotes de desenvolvimento (pidgin-dev);
  • Biblioteca PCRE e seus pacotes de desenvolvimento (libpcre3-dev);
  • DBUS-Glib.
Instalando Dependencias:
$ sudo apt-get install pidgin pidgin-data libpcre3-dev pidgin-dev 
 Compilando e instalando o MusicTracker:

Primeiro, temos que baixar o MusicTracker:
$ wget -c http://musictracker.googlecode.com/files/musictracker-0.4.1.tar.bz2
Depois, extraímos seu conteúdo:
$ tar -xjvf musictracker-0.4.1.tar.bz2
Entramos na pasta dele:
$ cd musictracker-0.4.1
Configuramos o compilador:
$ ./configure
Compilamos e instalamos:
$ make
$ sudo make install
Pronto instalado, só começar a usar.! (: Alternativa para Window$ User'$ : Se você é daqueles preguiçosos, que Odeia fazer Sinapse, pode utilizar .deb da instalação do plugin! ¬¬ 

Tutorial de Utilização: 
Agora é hora de abrir o Pidgin, ir em Ferramentas > Plugins, achar o MusicTracker e habilitá-lo. Após habilitá-lo, nesta mesma janela selecione Configurar Plug-in, onde você pode customizar a mensagem musical, colocar filtros nelas e etc.

Na aba Player, você pode escolher o programa que está executando para tocar as músicas, eu sempre deixo no auto-detect, funciona muito bem (pelo menos com o Rhythmbox).

Já nas mensagens você pode personalizá-las de acordo com seu gosto, existem diversos atributos, e todos estão listados a seguir:

  • %p - Artista
  • %a - Álbum
  • %t - Título
  • %d - Tempo de duração da música
  • %c - Tempo atual da execução da música
  • %b - Barra de Progresso
  • %r - Player que está sendo executado
  • %m - Símbolo de música (não funciona em algumas redes).
Um exemplo:
Curtindo: %t - %p | No Player: %r
Apareceria algo como: Curtindo: roots blood roots - Sepultura | No Player: Rhythmbox 
Pronto fii! Agora almente no ultimo seu Volume, bata cabeção! \m/ O.o \m/ 
Forte abraço []'s