domingo, novembro 09, 2008

O farmaceutico :)

vou falar um pouquinho da minha futura profissão e para os futuros enteressados na mesma!

Farmacia e bioquimica!:)

Funções

O farmacêutico é o profissional a quem cabe, de uma forma geral, preparar, conservar e distribuir medicamentos para uso humano ou veterinário, ou outros produtos que tenham um fim de carácter medicinal, higiénico ou profiláctico.
Tendo em conta que este profissional pode exercer diversas actividades (trabalhar numa farmácia de oficina, farmácia hospitalar, indústria farmacêutica, dedicar-se à investigação científica, docência ou análises clínicas), as suas funções variam substancialmente. Assim sendo, ao desenvolver a sua actividade numa farmácia oficina, cabe ao farmacêutico funções tão dispares como a compra, preparação, armazenamento e venda de medicamentos. Paralelamente, presta informações e dá alguns conselhos aos clientes que demonstrem alguma dúvida.

Exercendo o seu trabalho numa farmácia hospitalar, as suas funções são um pouco mais abrangentes e aplicam-se ao nível da gestão de medicamentos e respectiva distribuição pelas enfermarias, preocupando-se igualmente com as condições de armazenamento e de “stocks”. Poderá preparar medicamentos e fazer ensaios clínicos. No caso de optar por fazer carreira na indústria farmacêutica, este profissional poderá trabalhar na área de investigação ou na produção e promoção de medicamentos. Caso opte pela docência ou investigação, caber-lhe-á preparar e dar aulas ou fazer pesquisas, desenvolvendo conceitos e teorias, respectivamente.

Perfil

Tendo em conta que as actividades dos farmacêuticos e respectivas funções diferem bastante de umas áreas profissionais para as outras, também as qualificações exigidas diferem, ainda que seja considerado fundamental em todas elas uma grande capacidade de trabalhar com cuidado e precisão.

Ao assumir funções numa vulgar farmácia de rua, de resto saída profissional mais frequente, este profissional deverá acrescentar às suas competências técnicas uma boa relação humana e invulgar capacidade de comunicação. Tratam-se de pessoas que têm de prestar informações e conselhos sobre determinados medicamentos, pelo que é exigido uma comunicação simples e clara, para que não seja suscitado qualquer tipo de confusão.

Apenas aqueles que possuem o grau de licenciatura (em Ciências Farmacêuticas) poderão exercer esta profissão. Quem pretender prosseguir estudos nesta área poderá fazê-lo frequentando uma pós graduação ou mestrado, entre outras opções.

Remuneração

A remuneração dos farmacêuticos varia, substancialmente, em função da actividade desempenhada. No caso de o farmacêutico trabalhar num hospital ou clínica, e estar equiparado a um Técnico Superior de Saúde, o seu salário está situado entre os 1000 e 2500 euros brutos, dependendo da categoria em que se encontra.

Caso tenha optado pela carreira de docência ou investigação, os valores são um pouco superiores: entre 650 e 4000 euros, de acordo com o grau de ensino que estejam a ministrar e segundo o Sistema Retributivo da Administração Pública, sendo que o topo corresponde à categoria dos professores catedráticos.

No que diz respeito às restantes ocupações, os valores são muito variáveis. Ao trabalhar, por exemplo, numa farmácia oficina, o farmacêutico poderá auferir um salário médio de 1250 euros. Se exercer funções num laboratório farmacêutico, os vencimentos são, em média, superiores aos referidos anteriormente.

historia da profissão no brasil

Quando a coroa portuguesa instituiu no Brasil o governo geral, o primeiro governador, Tomé de Souza, veio, em 1549, para a colônia trazendo várias autoridades, funcionários civis e militares, aproximadamente mil pessoas que se instalaram na Bahia. O corpo sanitário da armada compunha-se de apenas um boticário (antiga denominação do farmacêutico), Diogo de Castro, com função oficial e com salário. Não havia nesta armada nenhum físico, denominação de médico na época. O físico-mor só viria a ser instituído no segundo governo, o de Duarte da Costa. O comércio das drogas e medicamentos era privativo dos boticários, segundo o que estava nas “ordenações”, conjunto de leis portuguesas que regeram o Brasil durante todo o período colonial. No tempo da Real Botica os remédios eram, na sua grande maioria, plantas medicinais, porém desde 1730 o brasileiro usava o mercúrio e o arsênico importados da Europa. Em 3 de outubro de 1832, criou-se, no Rio de Janeiro, o primeiro curso de farmácia do Brasil, ligado à faculdade de medicina. Em 4 de abril de 1839, criou-se por meio da lei provincial No. 140, publicada na secretaria do governo da provincia de Minas Gerais em 13/05/1839, a Escola de Farmácia de Ouro preto , a primeira faculdade independente do curso de medicina no Brasil. A Escola de Farmácia de Porto Alegre surgiu em 1896 e a de São Paulo em 1898.

habilitação e area de atuação

No setor público

como veem um amplo leque de opções paa nossa atuaçãO,espero que tenham gostado.

Fonte: google.com

creditos: Dr O.liverkall :)

0 comentários:

Postar um comentário