Manipulação Farmacêutica :)


Bem… visanto facilitar a absorção maior do conhecimento decidi postar este conteudo da Profa. Estér Roseli Baptista (FARMACÊUTICA) uma profissional muito competente que me ajudou indiretamente a aprender mais sobre a manipulação,neste conteudo apresentado a seguir sera um “resumo” sobre a manipulação farmaceutica (: ,e suas diversas formas de ação! espero que gostem do material e comentem!sua opinião é muito importante .
abraços bons estudos!;)

Introdução

Como os medicamentos extemporâneos têm aumentado a prática farmacêutica, numerosos métodos estão surgindo, auxiliando no desenvolvimento das formas farmacêuticas preparadas por farmacêuticos. O desenvolvimento de novas formas farmacêuticas pelos farmacêuticos manipuladores envolve a administração de fármacos a pacientes que muitas vezes não cumprem ao tratamento, especialmente os pacientes muito jovens ou muito idosos.

Quando novos métodos e técnicas são desenvolvidos, são demonstrados entre os farmacêuticos em encontros locais, regionais e nacionais. O objetivo é a preparação de produtos seguros e efetivos, usando os melhores recursos e técnicas disponíveis, em tempo mínimo. O propósito desse manual é demonstrar algumas dessas técnicas. Serão vistos os diferentes tipos de produtos sendo preparados e as sugestões para reduzir o tempo e preparar os melhores produtos.

Com o aumento da disponibilidade de vários tipos de equipamentos para farmácias de manipulação, a eficiência aumenta, reduzindo o tempo necessário para manipular uma prescrição. Catálogos de equipamentos de laboratório e alguns equipamentos elétricos usados na cozinha oferecem grande oportunidade de atualizar os equipamentos usados na manipulação. O uso de veículos comerciais para todos os tipos de formas farmacêuticas, tornam a manipulação mais conveniente e eficiente.

Soluções

*

Agitadores magnéticos, misturadores elétricos economizam tempo e ajudam a preparar produtos uniformes
*

Um “spray” de álcool (etanol para soluções internas) ajuda a “quebrar” a espuma, ou um agente antiespumante como o silicone pode ser adicionado à preparação
*

A filtração de um líquido pode ajudar na obtenção de produtos claros, límpidos
*

Um medidor de pH barato, ajuda na conferência do pH e a prevenção de incompatibilidades relacionadas a esse pH
*

Remover as barras magnéticas de dentro da vidraria onde o produto está sendo preparado, antes de completar o volume
*

Dissolver sais em uma quantidade mínima de água antes de adicioná-lo a um veículo viscoso
*

Agitar constantemente quando misturar dois líquidos minimiza incompatibilidades devido aos efeitos da concentração
*

Quando incorporar um material insolúvel, levigar o pó com uma pequena porção do veículo ou um líquido miscível com o veículo
*

Agitar gentilmente e não chacoalhar o produto para evitar a formação de espuma
*

Adicione líquidos de alta viscosidade a líquidos de baixa viscosidade com agitação constante
*

Sempre esteja atento ao pH e concentração alcoólica dos produtos preparados
*

Quando filtrar, esteja atento sobre o que está sendo retido no filtro
*

Quando trabalhar com hidrocolóides, deixar que hidratem lentamente antes de qualquer incorporação
*

Quando selecionar um veículo, estudar a concentração do fármaco, solubilidade, pKa, sabor e estabilidade.
*

Considerações ou estudos sobre o veículo devem incluir pH, aroma e sabor, dulçor, cor, conservantes, viscosidade, compatibilidade e, se indicado, agentes suspensores e emulsificantes.
*

Quando preparar elixires, dissolver os constituintes solúveis em álcool no álcool e os constituintes solúveis na água, em água. Adicione a solução aquosa à solução alcoólica, com agitação, para manter alta a concentração do álcool, o mais possível.
*

Talco pode ser usado para remover óleos essenciais em excesso. Isso é obtido pela adição de 1-2 g de talco por 100 ml de solução e filtra-se. Durante a filtração, as primeiras porções do filtrado são devolvidas ao filtro até obtenção de um filtrado límpido (repassar o filtrado).
*

Sistemas co-solventes, misturas de água, álcool, glicerina e propilenoglicol podem ajudar na clarificação de soluções que são pouco límpidas, devido a insolubilidade em água.
*

A velocidade de dissolução pode ser aumentada colocando-se o béquer em um banho ultra-sônico
*

Partículas pequenas dissolvem-se mais rápido que partículas grandes
*

Agitação aumenta a velocidade de dissolução do fármaco
*

Geralmente, quanto mais solúvel for o fármaco, mais rápida será a sua velocidade de dissolução
*

Quando trabalhar com um líquido viscoso, a velocidade de dissolução do fármaco é diminuída
*

Um aumento na temperatura geralmente permite um aumento na solubilidade e na velocidade de dissolução de um fármaco. Algumas exceções são o Hidróxido de Cálcio e Metilcelulose
*

A solubilidade de um fármaco não iônico pode ser aumentada ou diminuída pela adição de um eletrólito
*

Um alcalóide base ou uma base nitrogenada de peso molecular relativamente alto é geralmente pouco solúvel, a menos que o pH do meio seja diminuído (conversão a sal).
*

A solubilidade de uma substância ácida pouco solúvel é aumentada quando o pH do meio é aumentado (conversão a sal)
*

A efetividade de um conservante pode estar relacionada ao pH. Por exemplo: Parabenos são geralmente utilizados na faixa de 4 a 8, Clorobutanol requer pH menor que 5 e, o Benzoato de sódio é mais efetivo em pH ao redor de 4.

Suspensões

*

Reduzir pós a partículas muito finas antes de suspende-los
*

Molhar os pós com um líquido hidrofílico antes de adicioná-los ao veículo quando preparar uma suspensão aquosa
*

Se os pós são lipófilos, um tensoativo deve ser usado para ajudar na molhabilidade desses pós antes de adicionar um veículo.
*

Formulações de Metilcelulose são melhor preparadas pela dispersão em cerca de ? a ½ do total do volume de água, seguido da adição do restante da água como água gelada ou gelo pilado.
*

Muitos polímeros são facilmente dispersos quando agitados com um solvente hidrofílico, como glicerina, antes de adicioná-los a um veículo aquoso.
*

A dispersão dos polímeros pode ser facilitada, quando são polvilhados sobre água em agitação rápida.
*

Suspensões deveriam ser dispensadas em frascos de boca larga, para serem retiradas facilmente.

Emulsões

*

Dissolver os componentes solúveis em óleo na fase oleosa e os componentes solúveis em água na fase aquosa
*

Quando usar gral e pistilo, a trituração rápida é mais efetiva que a trituração pesada, lenta.
*

Adicionar as fases aquosa e oleosa sob agitação constante
*

Quando usar aquecimento, a fase aquosa deverá estar um pouco mais aquecida que a fase oleosa.

Pomadas

*

Pós devem estar reduzidos a sua forma impalpável por trituração em gral
*

Misturas de dois ou mais cremes podem ser obtidas com ajuda de um saco plástico
*

Pomadas podem ser removidas do saco plástico e acondicionadas em tubos, cortando-se uma das pontas do saco plástico e espremendo-se o conteúdo do saco para o tubo, diretamente (facilita a limpeza).
*

Quando preparar grandes quantidades, um misturador de cozinha pode ser muito útil.
*

Plastibase ™ não deve ser aquecida
*

A técnica da diluição geométrica acelera o processo de mistura de pomadas
*

Algumas gotas de óleo mineral ou outro solvente adequado pode melhorar a manipulação de fármacos que desenvolvem forças eletrostáticas
*

Não usar solventes voláteis quando levigar pós, pois o solvente poderá evaporar e carregar cristais do fármaco com ele.
*

Quando misturar as fases aquosa e oleosa para uma emulsão líquida, aquecer a fase aquosa alguns graus acima da fase oleosa antes da mistura, é muito útil. A fase aquosa tende a esfriar mais rapidamente que a fase oleosa
*

Quando preparar bases para pomadas, aquecer os componentes com ponto de fusão mais alto primeiramente, seguido da adição dos componentes com menor ponto de fusão, em ordem, até que todos tenham sido adicionados.
*

O aquecimento pode ser usado para amolecer pomadas antes de serem acondicionadas em potes ou tubo, facilitando o trabalho. Deve ser feito com cuidado para evitar a estratificação dos componentes
*

Quando colocar pomadas liquefeitas em tubos ou potes, resfriar a pomada até poucos graus acima do ponto de solidificação. Isso minimiza a formação de camadas de pomadas no acondicionamento

Cremes

*

Bases de cremes sem componentes ativos podem ser amaciadas em microondas, usando-se força mínima e pouco tempo.
*

Um umectante como glicerina, propilenoglicol, sorbitol 70% ou PEG 300 ou 400, adicionados a um creme, minimizam a evaporação.
*

Utilize aquecimento brando na preparação de cremes para minimizar a evaporação de água
*

Óleos voláteis podem ser adicionados somente após o resfriamento da preparação. Se soluções alcoólicas de aromatizantes serão adicionadas, resfriar a preparação abaixo do ponto de ebulição do álcool, em primeiro lugar.
*

A determinação do tipo de emulsão (O/A ou A/O) poderá ser efetuada, colocando uma gota da emulsão ou creme em uma superfície de água. Se a gota se espalhar, é do tipo O/A. Isso ocorre porque a fase externa da emulsão é miscível com água. Se permanece intacta como uma “bola”, é provavelmente do tipo A/O porque sua fase externa não é miscível com água.
*

eralmente, a quantidade de tensoativo requerida para preparar uma boa emulsão está na faixa de 0,5 a 5% do volume total.

Pastas

*

O uso de aquecimento na preparação e manipulação de pastas facilita o trabalho
*

Levigar pós insolúveis com uma quantidade de base fundida

Géis

*

Pré-misturar alguns agentes geleificantes, como o ácido algínico, com outros pós, às vezes ajuda no processo de dispersão.
*

Bentonita pode ser dispersa facilmente, polvilhando-a em água, permitindo que as partículas hidratem e sedimentem no fundo do béquer. Glicerina ou outro líquido similar pode ser usado para pré-molhar a bentonita antes de misturá-la com água. A hidratação completa pode levar horas.
*

A adição de álcool a alguns géis diminui sua viscosidade e limpidez
*

Quando usar um propelente para preparar um gel, mantenha o propelente no fundo do recipiente para minimizar a incorporação de ar no produto.
*

Dissolver todos os agentes no solvente/veículo antes de adicionar o agente geleificante
*

Resinas de carbômeros são dispersas facilmente quando polvilhadas no vórtex de um líquido em agitação vigorosa
*

Remova todo ar incorporado nas dispersões de carbômeros antes de adicionar um agente espessante. Bolhas de ar podem ser removidas deixando-se o produto descansar por 24 horas ou colocando-o em um banho ultra-sônico. Um antiespumante como silicone pode ser útil
*

O pH é muito importante para determinar a viscosidade de um gel de carbômero
*

Géis de gelatina são preparados por dispersão da gelatina em água quente e resfriados em seguida. O procedimento pode ser simplificado pela mistura da gelatina com líquidos orgânicos como álcool etílico ou propilenoglicol, adição de água quente e resfriamento do gel.
*

Géis de tragacanto são preparados pela adição do pó em água fortemente agitada. Aqui, novamente, etanol, glicerina ou propilenoglicol podem ser usados para pré-molhar o pó. Outros pós podem ser misturados ao tragacanto, enquanto seco, antes da adição de água.
*

Geralmente, gomas naturais devem hidratar por 24 horas para formar um gel mais homogêneo ou magma.

Loções (tipo emulsão)

*

Algumas emulsões podem ser feitas em frascos, facilitando a limpeza.
*

Um misturador mecânico pode ser usado para preparar loções elegantes. Uma variedade de misturadores está disponível, alguns com várias lâminas.
*

Homogeneizadores manuais podem ajudar na preparação de emulsões
*

Quanto menor for o tamanho dos glóbulos, mais estável será a emulsão.

Pós

*

Um moedor de café poderá ajudar na redução das partículas de um pó. A maioria pode ser limpa com pincel de pelos de camelo, enquanto outros devem ser lavados com água e sabão.
*

Pós com tamanho de partículas e características de densidade iguais podem ser misturados em saco plástico usando uma espátula. Isso minimiza a quantidade de pó que pode se espalhar na área de trabalho
*

Máscaras contra pó devem ser usadas se o pó é excessivamente leve e escapa da área de trabalho
*

Se o pó é muito leve, macio, ele pode ser compactado pela adição de algumas gotas de álcool, água ou óleo mineral.
*

Estearato de magnésio, menos que 1% do peso total da mistura, pode ser usado para reforçar a lubrificação e fluxo, característicos dos pós.
*

Lauril sulfato de sódio, acima de 1%, pode ser adicionado aos pós para neutralizar as forças eletrostáticas de pós que tendem a se espalhar no ar ou são de difícil manuseio.

Cápsulas

*

Encapsuladores estão disponíveis para enchimento de 50, 100 ou 300 cápsulas de uma vez. Economizam tempo, se grandes quantidades de cápsulas precisam ser preparadas.
*

Cápsulas podem ser coloridas pela adição de um corante ao pó antes de ser colocado em uma cápsula limpa. Isso ajuda a distinguir vários tamanhos de pós e cápsulas

*

Líquidos podem ser incorporados em cápsulas pela mistura com PEG 6000 ou 8000 fundidos. A mistura pode ser colocada nas cápsulas onde irá solidificar. A cápsula pode ser fechada e dispensada

*

Um líquido pode ser dispensado em cápsulas usando uma seringa para gotejar o líquido nas bases das cápsulas. O líquido não deve ser solvente de gelatina. Isso é especialmente verdadeiro para óleos.
*

Uma cápsula pode ser selada por umedecimento da abertura, final da cápsula base ou final da capa da cápsula. Um movimento de rotação selará a cápsula
*

Cápsulas podem ser limpas com um tecido macio ou toalha
*

Lauril sulfato de sódio, acima de 1%, pode ser adicionado aos pós para neutralizar forças eletrostáticas.
*

Dois elementos incompatíveis podem ser mantidos em separado, colocando-se um dentro de uma cápsula muito pequena e então, colocando-se essa cápsula pequena junto com outros pós, dentro de uma cápsula maior.
*

Pequenos comprimidos com fármacos potentes podem ser colocados dentro de cápsulas, juntamente com elementos adicionais.

Oftálmicos

*

Filtros estéreis descartáveis, pequenos, estão disponíveis para preparação de pequenos volumes de oftálmicos.
*

Filtros de esterilização, grandes, tipo funil, estão disponíveis para preparação de grandes volumes de oftálmicos (colírios), ex: 100-200 ml.

Supositórios

*

Um banho seco, feito com areia e mantido a 37o C, irá proporcionar uma temperatura ideal para amaciar e fundir bases de ácidos graxos e de manteiga de cacau, em um tempo mínimo.
*

Pós devem estar na forma impalpável antes de serem incorporados em uma base de supositório
*

Moldes para supositórios devem estar limpos e secos para facilitar a liberação dos supositórios. Se o supositório “gruda”, um lubrificante deve ser usado.
*

Destacar os supositórios dos moldes reusáveis é fácil se for usado um lubrificante. O lubrificante não pode ser um solvente da base de supositório. Use glicerina se a base é um óleo vegetal ou manteiga de cacau ou “spray” vegetal PAM, se a base é polietilenoglicol.
*

Quando moldar supositórios com as mãos, polvilhar uma pequena quantidade de talco nas mãos ou sobre a pedra-mármore para facilitar o trabalho com o material do supositório.
*

A base fundida deve ser colocada nos moldes, após estes estarem com a temperatura equilibrada com a temperatura ambiente. Moldar com auxílio de moldes gelados pode resultar em cavidades mal preenchidas e os supositórios com tendência a quebrar facilmente
*

Quando verter a massa fundida nos moldes, começar por uma das extremidades e continuar o enchimento até terminar, sem interrupção. Não passe para outro molde até que todo o primeiro tenha sido preenchido. Um pequeno excesso deve permanecer sobre a cavidade e após resfriamento e contração, a cavidade estará totalmente preenchida.
*

A quantidade máxima de fármaco e excipiente a ser incorporado ao supositório geralmente é cerca de 30% do peso total do supositório
*

Quando usar moldes plásticos descartáveis, esteja certo que a temperatura da base fundida é menor que a temperatura que funde o molde.
*

O excesso de material pode ser removido dos moldes de supositórios com auxílio de uma espátula de aço inox passada previamente em água morna e raspando-se o excesso. A espátula aquecida também serve para acertar o fundo do supositório
*

Na preparação de supositórios uretrais, um fino tubo de vidro pode ser usado como molde. Uma seringa de tuberculina de um ml pode ser usada como molde, se a barreira do êmbolo for cortada. O supositório uretral pode ser removido da seringa, inserindo-se o êmbolo e forçando o supositório com cuidado.
*

Supositórios são embalados com elegância em moldes descartáveis
*

Extratos vegetais quando umedecidos por levigação com uma pequena quantidade de base fundida, são facilmente distribuídos pela base.
*

Para incorporar materiais cristalinos, duros, pulverizar finamente ou dissolver em pequena quantidade de solvente e combinar a solução com a base.
*

Ingredientes líquidos misturados com um pó como amido, tornam-se menos fluidos e facilmente incorporados na base.
*

Uma grande quantidade de pós pode ser adicionado de algumas gotas de óleo mineral ou um líquido miscível com água, como a glicerina, para facilitar sua incorporação em algumas bases.

Pastilhas

*

A adição de um óleo aromatizante imiscível com a base pode ser obtida colocando-se algumas gotas de glicerina ou algum “solvente intermediário” ao óleo aromatizante, antes de misturá-lo com a base.
*

Pastilhas macias podem ser feitas com bases PEG, pastilhas mastigáveis com bases de gelatina glicerinada e pastilhas duras podem ser feitas com bases de xarope de açúcar.
*

Na falta de moldes para pastilhas, as tampinhas plásticas de frascos plásticos podem ser usadas como moldes. Um “spray” vegetal pode ser aplicado como lubrificante e a preparação moldada nessa tampa. Após solidificação, remover a pastilha. Uma alternativa é gotejar a base fundida em folhas de alumínio dispostas sobre cubos de gelo. As gotas irão imediatamente solidificar no contato com a folha gelada. Normalmente, terão forma circular. Checar os pesos cuidadosamente.

Aromatizando e Colorindo

*

Fármacos com sabor desagradável podem ser preparados como suspensões ou incorporados à fase interna de emulsões com aromatizantes no veículo para melhorar a palatabilidade (sabor)
*

Agentes aromatizantes e corantes devem ser combinados. Por exemplo: vermelho para cereja, marrom para chocolate, etc.
*

A efervescência pode mascarar o sabor de fármacos salinos

Miscelânea

*

Se a mesma quantidade de um líquido é medido constantemente, uma pipeta repetidora deveria ser usada.
*

Micropipetas devem ser usadas para medir quantidades muito pequenas de líquidos
*

Fórmulas e técnicas armazenadas em computador podem facilitar o processo de manipulação. Fórmulas padrão com instruções de manipulação para produtos freqüentemente manipulados irão promover a consistência e a qualidade dos produtos (padronização)
*

Quando manipular grande quantidade de produtos selecionados, pode ser necessário enviar amostras a um laboratório analítico.
*

Usar balanças eletrônicas no lugar de balanças de torção irá acelerar a pesagem e permitir que o farmacêutico confira pesos de cápsulas, pastilhas, supositórios, etc., muito rapidamente. Algumas balanças também têm uma impressora acoplada, para imprimir cópias para manter arquivos.
*

Béqueres com alças tornam a manipulação mais fácil quando o aquecimento é usado no processo de preparação
*

Placas aquecedoras com agitador magnético são versáteis e economizam tempo
*

Misturadores magnéticos estão disponíveis e permitem a agitação de quatro ou mais béqueres de uma solução, simultaneamente
*

Uma caixa iluminada pode ser usada para vários propósitos na farmácia de manipulação, como observar a limpidez de soluções, turbidez e uniformidade de suspensões e o nível de enchimento de supositórios em moldes plásticos.

FARMACOTÉCNICA ©2001ERBAPTISTA

Fonte: Responsável:
Profa. Estér Roseli Baptista
FARMACÊUTICA
E-mail: ester@ufpa.br

Creditos: Dr O.liverkall ;)

Manipulação Farmacêutica :) Manipulação Farmacêutica :) Reviewed by Kembolle Amilkar on sábado, novembro 08, 2008 Rating: 5

Nenhum comentário